Blog Rômulo Lima

Em 18 dias, choveu 215 milímetros em Juazeiro do Norte, volume que representa 21,7% a mais do que a média histórica para o mês de abril. 
Há dez dias, uma cratera se formou na Avenida Padre Cícero, uma das principais do Município. (Foto: Diário Cariri)
O município de Juazeiro do Norte, no Sul do Ceará, decretou estado de emergência em decorrência das fortes chuvas verificadas em abril. Em 18 dias do mês, choveu 215 milímetros em Juazeiro do Norte, 21,7% a mais do que a média histórica para o mês inteiro, que é de 176,6 mm. De acordo com o decreto, publicado no Diário Oficial do Município, as chuvas provocaram inundações em várias áreas e rompimento de estradas.

Além disso, as "chuvas deixaram centenas de pessoas desabrigadas, seja na zona urbana, seja na zona rural, fazendo com que muitas delas perdessem os seus objetos pessoais, incluindo suas moradias", afirma o prefeito Arnon Bezerra, no decreto. 

O reconhecimento da situação de emergência, permite que a prefeitura contrate serviços e adquira materiais sem a necessidade de um processo licitatório, por exemplo. Além disso, com a situação reconhecida, a cidade passa a contar com linhas emergenciais de crédito para amenizar as perdas nas áreas atingidas e o atendimento à população.

Defesa Civil

Com a maior quantidade de chuvas verificadas num mês de abril desde o ano de 2011, mais de 20 municípios do Ceará já receberam intervenção direta da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil em decorrência de inundações, alagamentos e desabamentos em 2018. 

"Felizmente neste mês de abril o estado do Ceará tem recebido um aporte hídrico significativo, porém essas chuvas também podem trazer alguns transtornos à população, como comunidades alagadas, casas inundadas, rompimento de pequenas barragens, estradas danificadas, famílias desalojadas e calendário escolar comprometido", explica o coronel Cleyton Bastos Bezerra, coordenador estadual da Defesa Civil do Ceará.

A região mais atingida tem sido o Litoral Norte, com quase 250 mm de precipitações acumuladas em abril. Há registro de problemas relacionados às chuvas também nas regiões do Jaguaribe, do Cariri, da Serra da Ibiapaba e Sertão Central.

A Defesa Civil pede principalmente aos gestores municipais e à população ribeirinha das bacias do Acaraú, do Jaguaribe e do Salgado que fiquem atentos ao nível das águas.

"Em caso de inundação ou alagamento, é fundamental seguir as recomendações de emergência estabelecidas pela própria comunidade sobre o que fazer e para onde ir. Em caso de emergência, desligue a energia elétrica, mantenha longe do alcance das águas documentos importantes e objetos de valor", alerta o coronel Cleyton.

"Em momentos de chuva intensa, não deixe as crianças trancadas em casa sozinhas. Cuidado também com as enxurradas: elas podem arrastar uma pessoa para locais perigosos. Se estiver de carro e a água começar a subir rapidamente, a orientação é abandonar o veículo e procurar um local seguro", diz. 

Globo.com

O número permanece alto: trezentas e quarenta famílias foram afetadas pela enxurrada da última sexta-feira (13), em Bodocó. Mesmo diante das dificuldades provocadas pelo desastre natural, algumas famílias começaram a retornar para suas casas e refazer a vida após o ocorrido. Outras 32 pessoas ainda se encontram desabrigadas. 

O prefeito Túlio Alves visitou algumas famílias nesta quinta-feira (19) para acompanhar o processo de retorno, que foi liberado após orientação e inspeção técnica realizada pela Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (CODECIPE). 
A volta para casa das famílias aconteceu mediante acompanhamento de profissionais das Secretarias Municipais de Infraestrutura, Saúde e Assistência Social que desenvolveram ações e serviços contínuos para garantir as condições de retorno, como: vistorias para parecer técnico estrutural das residências; limpeza das áreas atingidas com retirada de entulhos e pertences perdidos, que já somam até o momento 65 caçambas de lixo. 

A equipe de Vigilância Sanitária, Ambiental e Epidemiológica do município, com apoio da equipe de Vigilância em Saúde da IX Gerência Regional de Saúde, visitou 160 imóveis, entre casas e comércios atingidos, para realizar inspeções sobre a limpeza dos locais e dos utensílios e prestar orientações aos moradores/proprietários sobre as possíveis doenças vinculadas por água e alimentos contaminados. A Secretaria de Saúde ainda distribuiu mais de 1000 unidades de hipoclorito para descontaminação. 
As equipes técnicas da Secretaria de Assistência Social dão continuidade ao trabalho para verificação das necessidades mais urgentes de cada família e consolidação do banco de dados, gerenciando informações obtidas através dos cadastros sociais que foram realizados, além da organização da entrega de refeições e donativos às famílias cadastradas. Através de visitas domiciliares, profissionais dos equipamentos de proteção básica e especial CRAS e CREAS seguem identificando vítimas que necessitam de acompanhamento psicológico. 

“O retorno para casa fez-se necessário e por esta razão, nosso compromisso só aumenta. Por isso, nossas equipes estão desenvolvendo ações e serviços de forma efetiva, prestando toda assistência às famílias com o comprometimento de dar continuidade à garantia das necessidades básicas de cada uma delas, e para isso também estamos contando com a solidariedade e apoio de muitas pessoas, disse o prefeito Túlio Alves”.

Mais de 30 moradores continuam desabrigados em Bodocó. Ponte que é principal acesso para cidade está interditada e deve ser demolida nos próximos dias.
Chuva devastou vários pontos de Bodocó
Uma cidade devastada e ilhada no meio do Sertão de Pernambuco. Uma semana depois das fortes chuvas, Bodocó, a 640 quilômetros do Recife, permanece na luta para se reerguer. Mais de 30 moradores continuam desabrigados e todos enfrentam dificuldades para entrar e sair da cidade. Principal acesso, a ponte na PE-545, que faz a ligação com Ouricuri, está interditada e será demolida.

Na manhã de ontem ainda havia moradores, como Maria de Lourdes da Conceição, 42 anos, tirando a lama de casa. “A água chegou com uma violência tão grande que não conseguimos limpar tudo. Ela bateu mais de um metro na sala e saiu levando tudo. Só salvei um armário que ainda estou pagando”, contou, resignada, para depois cair no choro. “É muito triste você batalhar para ter suas coisinhas e ver tudo assim destruído”, lamentou.

Em meio ao caos e alheias a ele, crianças brincavam de casinha com o resto de uma barraca de camping, arrodeadas de entulhos, em frente a residências destruídas. A avó de uma delas, Antônia Vieira de Araújo, 45, não se incomodava com a cena. “Pelo menos elas estão se divertindo, né? Melhor estar na rua porque dentro de casa tem mais lixo que fora”, disse.

A preocupação dela era com o outro neto, Jacó, 4 anos. O motivo foi logo identificado quando o garoto chegou. Com marcas de arranhões pelo corpo, principalmente no rosto, ele acenou tímido. “Ele foi arrastado pela água da correnteza e ficou preso em um bueiro. A água bateu no pescoço dele e ele doido pedindo ajuda. Só tá vivo hoje porque o bombeiro apareceu logo e resgatou”, explicou Antônia.

A poucos metros dali ainda encontramos 32 pessoas desabrigadas. A maioria estava alojada no Colégio Municipal Antônio Lócio da Cruz. Entre elas, uma renascida senhora de 98 anos. Sem conseguir andar na última década, devido a problemas de articulação, Josefa Alves exibia um sorriso da cadeira de rodas. Ela completou idade nova justamente na última sexta-feira, dia da enchente. “Era pra ser um dia de festa pra minha mãe, mas acabou sendo de tristeza. Tivemos muita dificuldade para tirá-la de casa, mas os vizinhos ajudaram. Então comemoramos o renascimento dela”, disse a filha Antônia Agra.

Socorro

Desabrigados ou não, moradores sofrem porque o acesso à cidade está prejudicado, dificultando a chegada de medicamentos, mantimentos e socorro. Segundo a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco, a Ponte do Rio Pequi, interditada desde sexta, deverá dar lugar a uma ponte móvel. “Ela vai ter que ser demolida, será feita uma nova ponte. Ainda não se tem previsão. A documentação já foi enviada aos órgãos responsáveis e esta semana o Exército deve chegar para implantar uma ponte móvel”, informou o capitão Giovanni Lustosa, da Codecipe.

O prefeito Túlio Alves (DEM) destacou que a prioridade é agora restabelecer os acessos da cidade. “As pessoas estão solidárias e enviando ajuda, mas a situação está difícil até para receber. Torcemos para que o quanto antes essa ponte móvel seja instalada”, afirmou.

Ezequiel Quirino/JC Imagem

Na tarde desta quinta-feira (19), na Assembleia Legislativa de Pernambuco, um grande desconforto tomou conta da Audiência Pública que recebeu o secretário Estadual de Saúde, Iran Costa, para a prestação de contas do primeiro quadrimestre de 2018.

A Audiência, que estava prevista para às 13h no Auditório Ênio Guerra da Casa Legislativa, acabou por acontecer no Plenarinho. O local, que geralmente recebe pequenas reuniões, não comportou o grande público que chegou para acompanhar a apresentação do secretário.
A pedido dos presentes, que já estavam inquietos e mal acomodados, a deputada estadual Socorro Pimentel (PTB), solicitou ao Líder do Governo na Assembleia, deputado Isaltino Nascimento, a transferência da reunião para o auditório. Após as diversas negativas do deputado que presidia a audiência, a parlamentar sugeriu o cancelamento, o que também não foi acatado.

Socorro Pimentel e os demais que lotavam o local se retiraram da reunião. “Não iremos acatar esse desrespeito com os pernambucanos que chegam a nossa Casa. Estou entrando com um requerimento pedindo o cancelamento da Audiência Pública e solicitaremos uma nova reunião com a presença do secretário Dr. Iran Costa, para que o povo possa comparecer e ser, então, recebido de forma adequada”, disse a deputada.

Artistas e instituições públicas e privadas do Sertão do São Francisco estão se mobilizando para promover um evento beneficente em prol das mais de 800 pessoas desabrigadas com as chuvas de Bodocó (PE), no último fim de semana.

Os cantores Marcone Melo, Tico Seixas, Paulo Ferreira, Ivan Greg, João Sereno e Renan Mendes vão se apresentar na casa de shows Zé Matuto, em Petrolina, a partir das 21h, do próximo dia 27 (sexta-feira). Para a entrada serão cobrados 2kg de alimentos não perecíveis.

Os artistas Mariano Carvalho, Elisson Castro, Adãozinho de Rajada, João Emídio, Jaidete Varjão, Galego do Pajeú, o percussionista Bolão e a banda Dubaia também vão marcar presença no show. O Movimento de Intérpretes e Tradutores de Libras do Vale do São Francisco é outra presença confirmada, garantindo a acessibilidade do espetáculo às pessoas com deficiência auditiva.
Embora o evento esteja previsto para a próxima semana, a organização da campanha ‘Todos por Bodocó’ adianta que alimentos, roupas e kits de higiene pessoal já são doados desde terça-feira (17). Pontos de entrega como a Biblioteca Municipal de Petrolina, TV Grande Rio (afiliada da Rede Globo) e Rádio Grande Rio AM estão recebendo os donativos.

Na madrugada da última sexta-feira (13), as fortes chuvas na região encheram riachos e açudes do município, invadindo inúmeras casas. Desde então, várias famílias são alojadas em creches e escolas da cidade. 

Além de Petrolina, há pontos de arrecadação em Ipubi, Araripina e Santa Filomena. Os batalhões, delegacias, rádios, paróquias e igrejas dessas cidades realizam as mobilizações. Mais informações de como ajudar a população de Bodocó podem ser obtidas pelo telefone: (87) 9 9905-9928.

Na Reunião Plenária desta quarta-feira (18), na Assembleia Legislativa, a deputada estadual Socorro Pimentel (PTB) cobrou ao Governo do Estado o pagamento dos recursos destinados aos municípios para investimento na saúde básica. Segundo a parlamentar, cabe à Secretaria da Saúde do Estado repassar os recursos destinados à Política de Fortalecimento da Atenção Primária, à Contrapartida da Farmácia, ao SAMU e aos Hospitais de Pequeno Porte, mas desde 2014, a gestão do PSB deve a todos os municípios do Estado.

“Esses débitos não foram causados pela tão propagada crise econômica. Eles iniciaram num tempo em que sobrava dinheiro em Pernambuco, e se estenderam por 2015, 2016, 2017 e 2018. O governo Paulo Câmara passou toda a sua gestão devendo à saúde dos municípios. Um débito crônico.Nesses quatro anos, já são mais de 155 milhões”, afirmou.
Socorro Pimentel ressaltou ainda que as atribuições dos municípios têm crescido constantemente, mas reforçou que a chegada dos recursos não tem caminhado na mesma velocidade. “É imperiosa a promoção da saúde de uma população. Para isso, se faz necessário a pontualidade dos compromissos financeiros, sem a qual é impossível administrar e garantir resultados favoráveis na qualidade do serviço prestado”, disse.

A deputada lembrou ainda os municípios que foram atingidos pelas chuvas da última semana e pediu prioridade na regularização do débito. “Municípios como Bodocó, Surubim, Triunfo e Jataúba estão sofrendo com os estragos deixados pelas chuvas. Agora, mais que nunca, esses municípios clamam pela chegada desses recursos para prestar assistência às suas populações. Esperamos que o governador Paulo Câmara, ao menos nesse momento de tanta tristeza, quando várias famílias perderam todos os seus pertences, dê prioridade a esses municípios e regularize essa situação”, finalizou.
Tecnologia do Blogger.