Blog Rômulo Lima

Discutir o planejamento para dá início a segunda etapa da obra de esgotamento sanitário de Araripina, foi a pauta principal de uma reunião entre o superintendente regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vale do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Pernambuco, João Bosco Lacerda de Alencar, e o prefeito de Araripina, Alexandre Arraes. No encontro o superintendente e alguns técnicos da Companhia, explicaram sobre o andamento dos serviços que teve sua primeira etapa já concluída com previsão de início da segunda etapa para o segundo semestre deste ano.
A obra do esgotamento de Araripina já está cerca de 60% pronta, com 95% da rede coletora e das estações elevatórias concluídas e 50% da estação de tratamento de esgoto pronta.  O investimento da primeira etapa da obra girou em torno de R$ 36 milhões, recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) dentro do Programa de Revitalização de Bacias Hidrográficas, coordenado pelos ministérios da Integração Nacional e do Meio Ambiente, em parceria com outros 14 ministérios, com execução da Codevasf.
O superintendente da 3ª SR da Codevasf, João Bosco Lacerda, ressaltou a importância da obra para Araripina que é a principal cidade da região do Araripe, município considerado estratégico no sertão do estado. “Precisamos trabalhar para resolver essa questão de infraestrutura do município. A população vem solicitando muito à Codevasf essa possibilidade de se concluir essa obra. A reunião com o prefeito foi importante para concentrarmos todo o esforço e assim concluir a saneamento do município o mais breve possível”, destacou João Bosco.
O superintendente frisou que as obras de esgotamento sanitário executadas pela Codevasf em Pernambuco, são intervenções que aportam um grande volume de recursos, por isso que o órgão vem trabalhando para concluir todas as obras já iniciadas. Segundo balanço divulgado pela Codevasf, os investimentos em esgotamento sanitário no estado ultrapassam R$ 180 milhões.
“Estamos trabalhando nessa linha de concluir essas obras, superando todos os gargalhos que existem. No caso de Araripina, em parceria com o prefeito e sua equipe, temos certeza que a gente vai avançar muito e brevemente colocar o sistema de Araripina para operar”, acrescentou João Bosco Lacerda.
A obra teve que ser interrompida devido a problemas relacionados à área onde deveria ser instalada a estação de tratamento de esgoto do município. Segundo o gerente de revitalização de bacias hidrográficas da Codevasf em Pernambuco, Elijalma Augusto Beserra, o proprietário não aceitou a venda do terreno e o projeto teve que ser modificado.
“Fazer modificações numa obra de estação de tratamento de esgoto, quando ela é do tipo lagoa e numa cidade tão grande, via de regra acarreta grandes mudanças no contrato. Então essas alterações impediram que o contrato chegasse ao fim. De toda sorte nós fizemos algo que em torno de 60% da obra. Já levantamentos todos os serviços que são necessários para concluir, incluindo a parte condominial e a conclusão das estações de tratamento e mais uma elevatória a obra está necessitando”, listou o engenheiro.
Elijalma explica que como os novos estudos apresentaram custos em torno de R$ 30 milhões, será realizada uma nova licitação para a conclusão da obra. “O processo agora entra na fase de levantamento e avaliação de custo, tudo dentro do que manda a legislação e posteriormente será submetido ao GPAC em Brasília para que seja autorizado um novo processo licitatório e, assim, possamos concluir a esgotamento sanitário de Araripina”, finalizou.

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.