Blog Rômulo Lima

 Segundo o relatório da ONU, a água nunca foi tão consumida na indústria, na geração de energia, na agricultura.
Um estudo da ONU concluiu que, dentro de 15 anos, as reservas de água do mundo todo podem diminuir até 40%.
Falta d’água no Sudeste, água demais na Região Norte. O Brasil enfrenta os dois problemas. E às vésperas do Dia Mundial da Água, domingo (22), o relatório da Unesco, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, é preocupante.
Quase 750 milhões de pessoas no mundo não tem acesso à água potável. E se nada for feito, até 2030, o planeta vai sofrer com a falta d’água, um déficit de 40% no abastecimento. Ainda segundo o relatório, a água nunca foi tão consumida na indústria, na geração de energia, na agricultura.
Até 2050, apenas a agricultura, a área que mais consome água, deverá produzir 60% mais alimentos do que hoje. O estudo lembra, ainda, o grande volume de água necessário para gerar energia, e fala da necessidade de estímulos para fontes renováveis, como solar e eólica, a energia produzida a partir dos ventos.
O relatório cita o Brasil. Destaca o programa Rio Rural, no Rio de Janeiro, que estimula a agricultura familiar com a conservação dos recursos naturais.
Mas o Brasil e o mundo, segundo a Unesco, precisam priorizar a gestão da água. Reduzir o desperdício e a poluição. E conciliar desenvolvimento econômico com a preservação dos recursos naturais.
“Nós temos no Brasil um sistema de administração hídrica já bem madura. É claro que as políticas têm que ser aperfeiçoadas. Enfim, ainda há muito o que fazer no mundo inteiro”, afirma Ary Mergulhão, coordenadora Ciências Naturais – Unesco.
Do G1 / Jornal Nacional

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.