Blog Rômulo Lima

Dezenove cidades do Agreste e Sertão de Pernambuco correm risco de ter novos casos de doença de Chagas, a que é transmitida pelo inseto barbeiro. O número foi divulgado há pouco pelo Programa Sanar, da Secretaria Estadual dé Saúde, que cuida de doenças negligenciadas. Segundo o coordenador do programa, Alexandre Menezes, os municípios reúnem índice alto de infestação dos imóveis pelo vetor, presença de colônia dos insetos nos domicílios ou moradores já infectados. Na década passada o Brasil ganhou certificado do fim da transmissão da doença pelo Triatoma infestans, mas há outras espécies de barbeiro que passa a doença ao picar humanos.
Nesta terça-feira (14 de abril), Dia Mundial de Combate à Enfermidade de Chagas, o Ambulatório de Chagas do Pronto-Socorro Cardiológico de Pernambuco (Procape) e a Associação de Portadores de Doença de Chagas promovem o III Encontro da Praça, em frente ao Procape, na Rua dos Palmares, Santo Amaro, área central do Recife. A programação tem apoio do Sanar e começa às 10h, para orientar a população e alertar sobre a doença. O trabalho será realizado com a parceria dos projetos de extensão da Universidade de Pernambuco (UPE) Chagas: Um Grande Coração e Abraçando Corações.
Geralmente, a doença só dá sinais na fase crônica, com insuficiência cardíaca ou problemas digestivos. O dia especial existe para marcar o aniversário (agora de 106 anos) do dia em que o pesquisador brasileiro, Carlos Chagas, comunicou sua descoberta à comunidade científica.
Nos 19 municípios com risco de transmissão, considerados prioritários, o Sanar pretende apoiar as ações municpais de controle do inseto e capacitar profissionais de saúde para o diagnóstico e tramento inicial. Estão na lista Limoeiro, Afrânio, Dormentes, orocó, Petrolina, Tabira, Carnaíba, Iguarai, Itapetim, Quipapá, Salgueiro, terra Nova, Parnamirim, Santa Cruz, Santa Filomena, Afogados da Ingazeira, Ingazeira, São José do Egito e Serra Talhada.
Do JC Online

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.