Blog Rômulo Lima

Prefeitos ainda desconhecem ação criada pela gestão Paulo Câmara.
O governo estadual reservou R$ 10 milhões para o Escritório de Projetos, iniciativa que visa ajudar as prefeituras na elaboração de propostas para a captação de recursos, mas até agora não teve a adesão das gestões municipais. O programa, uma das promessas de campanha de Paulo Câmara (PSB) em 2014, foi lançado pelo socialista no dia 22 de março e desde 1º de abril iniciou o recebimento dos projetos, mas nenhum prefeito enviou a documentação.
As prefeituras têm até 30 de maio para remeterem seus projetos ao governo, que já estuda prorrogar esse prazo caso a adesão seja pequena. “Disponibilizamos R$ 10 milhões para as prefeituras. Se até o 30 de maio não tivermos projetos que totalizem esse valor, vamos ampliar o prazo”, destacou o secretário-executivo de Apoio aos Municípios, Flávio Figueiredo.
Na avaliação do secretário de Planejamento e Gestão, Danilo Cabral, não haverá necessidade de esticar o prazo inicial. “Temos tempo para que os projetos sejam apresentados”, falou. A mesma avaliação faz o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota. “As prefeituras estão dentro do prazo”, declarou.
Para tentar reverter o desinteresse das prefeituras, o governo tem promovido palestras junto aos gestores municipais. “Percebemos que os prefeitos não entenderam bem o programa e vamos fazer uma série de apresentações para esclarecer do que se trata. Logo começam a chegar as primeiras propostas”, destacou Flávio Figueiredo.
Serão aceitos projetos de engenharia nas áreas de infraestrutura urbana e rural, educação, saúde, segurança, desenvolvimento social, meio ambiente e sustentabilidade e as propostas podem ser apresentadas pelas prefeituras isoladamente ou por meio de consórcios municipais.
Para Danilo Cabral, esse trabalho em grupo pode ser um dos fatores que geraram a inexistência de projetos até o momento. “Acho que está havendo um processo de busca de entendimento na medida em que o edital induz a projetos regionais e integrados. Isso exige capacidade de diálogo para identificar os projetos em comum”, avaliou Danilo.
Os R$ 10 milhões disponibilizados pelo governo estadual serão divididos por categoria. Propostas isoladas podem receber até R$ 200 mil. Já os projetos via consórcios municipais têm um limite de R$ 300 mil para os grupos com duas cidades e de R$ 400 mil para três cidades ou mais. O resultado dos contemplados sairá até 30 de julho.
Do JC Online

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.