Blog Rômulo Lima

Equipes chegam equilibradas para a partida da noite desta quarta-feira, às 22h, no Cornélio de Barros.
Foram necessárias 101 edições do Campeonato Pernambucano para que uma equipe do interior tivesse a oportunidade de disputar uma final de igual para igual com um time da capital. Nesta quarta-feira (29), a partir das 22h, no estádio Cornélio de Barros, o Salgueiro começará a escrever a história em busca do seu primeiro título estadual. Só que do outro lado, e não menos importante, está o Santa Cruz, finalista pela quinta vez em quatro anos, atrás da sua 28ª taça.
Tanto a Cobra Coral quanto o Carcará chegam em pé de igualdade para a disputa das duas finais. Depois de hoje, as duas equipes voltam a se enfrentar no domingo, às 16h, no Arruda. Assim como na semifinal, o placar será agregado nos dois jogos e o campeão será quem somar mais pontos nos dois jogos. Em caso de igualdade, o saldo de gols será critério de desempate. Persistindo o empate, decisão nos pênaltis.
Além de terem um elenco equilibrado e sem grandes estrelas, ambos realizaram uma campanha similar até o momento. Começaram o Campeonato Pernambucano mal e foram crescendo com o passar das rodadas. No Hexagonal, o Carcará teve 3 vitórias, 2 empates e 5 derrotas. Já o Santa venceu 4 vezes, empatou duas e perdeu outras quatro. Nos confrontos diretos, os sertanejos levam vantagem: ganharam os dois jogos por 1x0, um no Cornélio de Barros e outro no Arruda.
Para apimentar ainda mais essa recente rivalidade, que nasceu em 2006, as equipes já se enfrentaram 23 vezes em jogos oficiais, com sete vitórias do Salgueiro e oito do Santa Cruz. Outros oito confrontos terminaram empatados. E há quatro jogos que os tricolores não ganham (três derrotas e um empate). Porém, o último triunfo foi um sonoro 7x0, no Arruda, no ano passado.
Em relação aos times, pelo Carcará, o técnico Sérgio China não quis dar pistas para o adversário, sem nem mesmo dizer como a equipe deverá se portar em campo. “Não posso passar a estratégia de jogo. Se eu disser, Ricardinho vai escutar e já vai fazer algo em cima disso. Ou posso passar e fazer diferente, para complicar o adversário”, afirmou, sorrindo, o misterioso treinador. Mesmo com o segredo, o Salgueiro deverá entrar em campo com praticamente a mesma equipe que empatou com o Sport, na Arena Pernambuco, no último domingo, com três volantes de ofício e apenas um atacante na frente. A dúvida será apenas se Anderson Lessa, recuperado de lesão, tomará a vaga de Kanu.
Do lado tricolor, o técnico Ricardinho também optou pelo mistério. Contando com os retornos de Edson Sitta e Anderson Aquino, que inclusive atuaram na última partida, e Bruno Mineiro, crescem as opções para montar o time. A tendência é que Sitta retorne à cabeça de área na vaga de Bileu. Outra possibilidade é Anderson Aquino formar dupla no ataque com Betinho. Se isso acontecer, Emerson Santos brigaria por um lugar no meio com Guilherme Biteco.
Independente da formação, o treinador acredita que seus atletas não deixarão a oportunidade do título escapar, ainda mais agora que estão mais homogêneos. “Um time ganha jogo e um grupo ganha campeonato. Temos um grupo à disposição. Tivemos alguns problemas de lesão e cartões, mas agora, na reta final, todos estão à disposição de novo. Foi um trabalho bem feito de recuperação para a montagem do time”, disse Ricardinho.
Do JC Online

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.