Blog Rômulo Lima

Desde janeiro deste ano, nove pessoas foram assassinadas na cidade.
SDS enviou reforço policial para conter clima de insegurança na cidade.
Uma onda de homicídios está assombrando os moradores de Serra Talhada, no Sertão do Estado. Desde janeiro deste ano, nove assassinatos já foram registrados na cidade, o que levou a Secretaria de Defesa Social (SDS) a enviar reforço policial para conter o clima de insegurança gerado no município. O assassinato mais recente ocorreu na noite da última quarta-feira (22). A polícia trabalha com a hipótese de que uma parte dos crimes tenha ligação direta com a execução do vereador Cícero Fernandes, conhecido como Cição, morto no mês passado. O delegado Guilherme Caraciolo, designado para investigar o caso, disse ser provável que algumas mortes tenham sido motivadas por vingança, em resposta ao assassinato do político, que também era policial militar da reserva. A sequência de crimes gerou várias especulações, entre elas, a de que haveria uma lista de pessoas marcadas para morrer em Serra Talhada. Segundo a polícia, essa informação não passa de boato.
O medo silenciou os moradores. Apesar de assustados, eles evitam falar sobre o assunto. Todas as pessoas que aceitaram conversar com a reportagem pediram para não ter o nome divulgado. A sensação de insegurança está provocando ainda uma mudança de hábitos. Muitos moradores admitiram que estão evitando ficar nas ruas da cidade durante a noite.
A polícia também tem mantido as investigações sob sigilo. Além da morte do vereador, o delegado Guilherme Caraciolo investiga o assassinato do empresário Alexandro Carvalho da Silva, conhecido como Xuxa, ocorrido este mês. A investigação dos demais está sob a responsabilidade da delegacia local. “Já temos uma linha de investigação e ela aponta para a possibilidade de vingança em alguns desses homicídios. Mas com certeza nem todas as mortes têm ligação com o assassinato do vereador. Algumas se tratam de casos isolados”, explicou Guilherme Caraciolo.
A última vítima foi o motorista Iranildo Nunes Lima. Ele foi morto com vários tiros, no bairro do Bom Jesus. Foi o terceiro homicídio apenas este mês. No mês de março, foram registrados quatro assassinatos. Já em janeiro e fevereiro, a polícia registrou uma morte, em cada mês. De acordo com a polícia, nenhum suspeito ainda foi preso.
Após a sequência de crimes, a Secretaria de Defesa Social enviou um reforço para a cidade de cerca de 50 policiais militares e dez policiais civis. No ano passado, foram registrados 35 homicídios em Serra Talhada, quase o dobro dos assassinatos registrados em 2013.

 







Do JC Online

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.