Blog Rômulo Lima

Professores da rede estadual foram mais uma vez as ruas de Ouricuri, na manhã desta sexta-feira (17). A manifestação, que contou com total apoio do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINDSEP) e estudantes de várias escolas, criticou mais uma vez o Projeto de Lei encaminhado no dia 11 de março para a Assembleia Legislativa do Estado (Alepe) pelo governador Paulo Câmara, em cumprimento à Lei do Piso Salarial Nacional do Ensino Básico (nº 11.738/08), mas que beneficia apenas uma pequena parte dos professores do Estado.
O PL reajusta o piso salarial dos professores da rede oficial de Pernambuco em 13,01%, no entanto, o aumento só contemplará os professores do chamado magistério, os profissionais que tem apenas nível médio. Somente 4.060 profissionais, ou seja, 10% da categoria, receberá o aumento.
Os participantes do manifesto fecharam por meia hora o centro de Ouricuri, no sinal que divide as avenidas Fernando Bezerra e Antonio Pedro da Silva. De lá, seguiram para reunião na Escola Fernando Bezerra, onde avaliaram como positivo o movimento desta sexta-feira.
De acordo com a direção do movimento, esse ato também serviu para repudiar a liminar do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) que determina a suspensão da greve dos professores da rede estadual deflagrada na última sexta (10). A decisão do desembargador Jovaldo Nunes, divulgada nesta quarta (15), também obriga o imediato retorno dos profissionais às atividades sob pena de multa diária de R$ 30 mil.
Mesmo pressionados por decisão judicial que determinou a suspensão da greve, os professores da rede estadual de ensino realizaram assembleia, na manhã de hoje, em Olinda, para definir se dão continuidade ao movimento, iniciado na segunda-feira.
Do Portal A10

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.