Blog Rômulo Lima

O Programa foi lançado durante o V Seminário Neppas e beneficiará 1.820 famílias agricultoras.
“A semente é próprio alimento de quem tira da terra o alimento, de vender e se alimentar”. Foi no ritmo da literatura de cordel e na troca de saberes entre agricultores e agricultoras familiares que foi lançado na manhã desta sexta-feira, 24, o Programa Sementes do Semiárido da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) no estado de Pernambuco.
O lançamento aconteceu durante a quinta edição do Seminário Neppas na roda de debate com o tema Sementes: autonomia, vida e resistência no Semiárido. O evento contou com a presença de agricultores familiares, estudantes, técnicos e professores universitários vindos de diversos territórios do estado, a exemplo do Pajeú, Araripe, Sertão central e região metropolitana.
“Hoje no mundo seis empresas multinacionais detêm 60% da produção de sementes comercializadas e 73% do agrotóxico usado o mundo. Isso tudo tem ameaçado as sementes que o agricultor e a agricultora produzem, e o Programa Sementes tem o objetivo de fortalecer a resistência e a prática que as famílias têm de guardar estas sementes”, destacou Alexandre Pires na fala de lançamento do Programa.
A mesa composta por Graciete Santos da Casa da Mulher do Nordeste; Antonio Barbosa da ASA; Maria José De Souza representante da comunidade quilombola do Feijão e Alexandre Pires, Coordenador executivo da ASA-PE, trouxe questões para serem refletidas sobre o papel das sementes crioulas e sua importância para a manutenção da vida.
Neste sentido, Graciete Santos ressaltou os desafios de resgatar a cultura de guardar sementes. “O valor da produção e da reprodução da vida tem tudo a ver com as sementes crioulas. A gente está falando da semente que é carregada de autonomia e esta autonomia está ligada ao valor que foi repassado dos nossos ancestrais e nos provoca a refletir sobre a conjuntura que estamos vivendo com o avanço dos transgênicos e do agronegócio”, salientou.
O Seminário Neppas está sendo sediado na Unidade Acadêmica de Serra Talhada da Universidade Federal de Pernambuco (UFRPE), desde o último dia 22 e será encerrado neste sábado, 25. “Este é um seminário que fala de um dos lugares mais belos do mundo: o Semiárido. Este é um lugar onde a gente aprendeu uma palavrinha mágica chamada ‘estoque’ e por isso, nós somos referência no Brasil e no mundo na captação e armazenamento de água chuva”, afirmou Antonio Barbosa ao se referir à relevância do evento.
Programas Sementes em Pernambuco
No estado de Pernambuco, o Programa Sementes do Sertão será executado por três organizações, Casa da Mulher do Nordeste, Caatinga e Centro Sabiá. 1.820 famílias de 32 municípios serão beneficiadas com a ação que vai implantar e ou fortalecer 91 bancos de sementes comunitários.
O
E
O
G
T
P
A
O

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.