Blog Rômulo Lima

Segundo Secretaria de Saúde foram notificados 1.514 caso em 2014.
Em 2015 foram notificados 85 casos e quatro foram confirmados.
Mesmo com a redução no número de casos de dengue em Salgueiro, no Sertão de Pernambuco, ainda é alto o índice de infestação do mosquito na cidade. Para combater o Aedes aegypti, que transmite a doença, várias medidas foram adotadas no município.
O comerciante Osvaldo Pereira dos Santos teve dengue no ano passado e agora redobrou os cuidados para evitar a reprodução do mosquito. “Todo mundo com cuidado e graças a Deus não teve mais ninguém com dengue aqui em casa”, explica.
Depois das mudanças, todos os reservatórios estão fechados e as garrafas vazias ficam viradas para baixo. “O que a gente pode notar é que ele realmente tem uma preocupação com relação aos cuidados que se deve ter dentro de um imóvel. Faz a eliminação de possível foco de criação do mosquito. Já observamos a caixa, fizemos o tratamento dela. Os tambores estão devidamente limpos e bem tampados. Como ele é uma pessoa que já teve a doença, sabe muitos bem os riscos que se pode ter dentro de um imóvel”, diz o agente de endemias Ronivaldo Silva.
As ações contra o mosquito ajudaram a cidade de Salgueiro a combater a epidemia de dengue vivenciada no ano passado. “Em 2014 a gente teve uma grande mobilização no município, fazendo campanhas, fazendo mutirões nos bairros onde tinha grande notificação dos casos de dengue”, ressalta o secretário de saúde Emanoel Leite.
De acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde, no ano passado foram confirmados 1.514 casos de dengue na cidade. Já de janeiro a março deste ano, foram notificados 85 casos e apenas quatro confirmados. E mesmo com a redução, o último Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) apresentou resultado acima do recomendado pelo Ministério da Saúde. “A gente está em situação de alerta. Tivemos um resultado de 2,2%, quando que o Ministério preconiza que seja de até 1%”, explica o secretário.
Os bairros onde o índice de infestação foi maior foram a Cohab e o Divino Espírito Santo. Quem mora na região toma todos os cuidados para evitar a proliferação do mosquito. “Quando chove ando pelo muro. O reservatório é fechado. As garrafas viradas para baixo. Tenho cuidado também nas caixas, estão sempre tampadas. É muito importante a gente ter cuidado”, disse a dona de casa Socorro Faustino.
“A população tem que fazer a sua parte. Olhando a casa, tirando dez minutinhos por semana para observar, fazer uma vistoria e ver se tem algum possível criadouro do mosquito da dengue que é a água parada. É uma atividade que não demanda tempo para a população e não precisa de muita gente. Uma pessoa só da casa pode fazer isso”, ressalta o secretário Emanoel Leite.
Do G1 Petrolina

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.