Blog Rômulo Lima

Vinte e quatro apicultores de Quixaba, no sertão do Pajeú, em Pernambuco, esperam dobrar a produção de mel do município. Eles integram a Associação do Riacho Fundo, que foi estruturada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) com kits produtivos de apicultura – uma ação do eixo de inclusão produtiva do Plano Brasil sem Miséria conduzida em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional (SDR/MI).
O objetivo da ação é fortalecer os arranjos produtivos de comunidades rurais em municípios de abrangência da 3ª Superintendência Regional. Em Quixaba, o investimento foi de R$ 131,4 mil. Ivo Simplício, presidente da Associação de Riacho Fundo, frisou que os kits de produção apícola darão condições de melhorar o trabalho dos produtores locais. “Já estamos recebendo cursos e agora o principal são os kits, que são o apoio estrutural, material. A gente não tinha condição de comprar nada disso. Agora estamos dando um passo a mais”, disse.
O apicultor Agenor Porfírio da Silva, na atividade há 10 anos, enfoca que, com os equipamentos, o produto ganhará em qualidade. “É uma força grande pra gente aumentar as caixas que a gente tem. Vamos produzir também um mel mais limpo e mais vendável”, ressaltou.
Também apicultor experiente, Aluísio Lima Reis lembra que essa é uma batalha antiga de todos os apicultores de Quixaba. Com os kits produtivos da Codevasf, a atividade apícola no município deve saltar de aproximadamente 5 toneladas de mel por ano ano para cerca de 10 toneladas, conforme salientou o apicultor.
“Pretendemos chegar perto de 8 a 10 toneladas. Já temos nossa marca, só precisamos desse apoio e lutar pela Casa de Mel; e pedir a Deus uma boa invernada, porque floresta temos demais. Essa parceria da Codevasf é 100%”, comemorou o produtor.
O prefeito de Quixaba, José Pereira Nunes, espera novas ações da Companhia no município, como a aquisição de uma Unidade de Beneficiamento de Mel (Casa de Mel) para a localidade. "Esses beneficiários vão receber e fazer render o comércio, gerar renda para o apicultor e ajudar o município, que é muito pobre. Agora vamos em busca da Casa de Mel”, revelou.
Cadeia produtiva
Presidente da Rede de Apicultura do Sertão do Pajeú, Glebson Martins disse esperar contar com a parceria da Codevasf nas ações da entidade. A rede conta com 11 municípios do Pajeú e 9 associações organizadas que, juntas, somam mais de 200 apicultores e produzem em torno de 65 toneladas de mel ao ano. “A perspectiva de nossa rede é buscar parcerias. Estamos buscando também a Codevasf para fazer parte, visando a construção de políticas que melhorem a vida do homem no campo”, afirmou o produtor.
O analista em desenvolvimento regional da Codevasf Antônio Paulo Lopes, que atua diretamente no trabalho junto aos apicultores, reforça que a intenção é realmente melhorar a cadeia produtiva da apicultura de toda a região onde a Codevasf atua. “Nesses últimos anos a Codevasf tem investido forte no apoio na cadeia produtiva da apicultura em Pernambuco. A vocação da região, clima, localização geográfica do estado contribuem sensivelmente para esse apoio”, esclareceu Antônio Paulo.“Estamos levando ações para quem quer produzir. Chegamos hoje a todos os municípios. Reforçamos a importância das lideranças locais para que procurem seus representantes políticos e solicitem recursos para que a Codevasf possa atingir ainda mais pessoas com suas ações, especialmente essas de inclusão produtiva. Temos o maior interesse em trazer cada vez mais atividades como essa para a região”, enfatizou João Bosco Lacerda de Alencar, superintendente regional da Codevasf.
Estruturação de famílias
As ações para a promoção da apicultura no semiárido pernambucano realizadas pela Codevasf somam mais de R$ 8,7 milhões, atingindo cerca de 1,5 mil famílias. São iniciativas que visam à estruturação das famílias com kits produtivos compostos de equipamentos para o desenvolvimento da atividade e construção de centros de manejo como as Unidades de Extração e Beneficiamento de Mel.
Neste ano já foram contemplados com kits produtivos familiares de apicultura pela Codevasf em Pernambuco produtores de municípios como Araripina, Santa Filomena e Petrolina.
Segundo a gerente de desenvolvimento territorial da Codevasf, Izabel Aragão, todo esse trabalho que está sendo realizado pela Codevasf tem como objetivo organizar a cadeia produtiva, qualificar o desenvolvimento da atividade, promover a inclusão produtiva da população em pobreza extrema, além de incentivar a criação de abelhas de forma racional, reduzindo o extrativismo rudimentar e promovendo a sustentabilidade do setor.

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.