Blog Rômulo Lima

A presidente Dilma Rousseff divulgou nesta tarde outros dois vídeos sobre o o Dia do Trabalho. Pela manhã ela já havia divulgado o primeiro em que tratava do salário mínimo e do reajuste da tabela do Imposto de renda.
Em um curto vídeo de um minuto e quatro segundos, a presidente Dilma Rousseff voltou a criticar a proposta de regulamentação da terceirização aprovada pela Câmara dos Deputados, que estende a terceirização para todos os tipos de atividades. Este foi o segundo vídeo da presidente publicado nesta manhã na página oficial do Palácio do Planalto no Facebook.
“Sei que é importante regulamentar o trabalho terceirizado no Brasil, para que 12,7 milhões de trabalhadores terceirizados tenham proteção ao emprego, direitos trabalhistas e previdenciários e garantia de um salário digno”, disse a presidente no vídeo, destacando que regulamentar a terceirização significa também uma “maior segurança para o empregador”.
Dilma ressaltou que, na sua avaliação, a regulamentação do trabalho terceirizado precisa “manter a diferenciação entre atividades-fim e meio, nos vários setores produtivos”.
“É preciso assegurar ao trabalhador a garantia dos direitos conquistados nas negociações salariais. É preciso proteger a Previdência Social da perda de recursos e assim garantir a sua sustentabilidade”, afirmou a presidente. “O meu governo tem o compromisso de manter os direitos e as garantias dos trabalhadores”, acrescentou.
Já em seu terceiro vídeo sobre o Dia do Trabalho, a presidenta Dilma Rousseff garantiu que todos os pleitos e avanços nas questões trabalhistas são frutos do diálogo amplo e franco entre governo e sociedade. Ela destacou a criação de um grupo formado por governo e representações de trabalhadores, empresários e aposentados para discutir medidas de estímulo à geração de emprego e renda para a população.
O Fórum de debates sobre políticas de emprego, trabalho, renda e previdência social terá como pauta de trabalho propor medidas de sustentabilidade do sistema previdenciário, bem como regras de acesso: idade mínima, tempo de contribuição e fator previdenciário. Além disso, serão discutidas políticas de fortalecimento do emprego, do trabalho e da renda; medidas de redução da rotatividade, de formalização e aumento da produtividade do trabalho.
“Caberá a nós todos encontrarmos a melhor estratégia e definir os mais eficientes instrumentos para que possamos atingir os nossos objetivos de fazer o Brasil crescer, aumentando emprego e renda de todos os trabalhadores”, afirmou Dilma Rousseff.
Esta é a primeira vez que a presidente não grava um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão para o Dia Mundial do Trabalho. Em março, quando foi veiculado o último pronunciamento de Dilma, em virtude do Dia Internacional da Mulher, a presidente foi alvo de uma série de panelaços promovidos por moradores de todo o País.
Do Blog da Folha

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.