Blog Rômulo Lima

No interior ou nas grandes cidades, celebrações aos santos duram mais de dez dias no mês de junho. Tradição se mantém há décadas.
Para muitos sertanejos, as procissões são a maior festa nessa época do ano. E até os romeiros, devotos de Padre Cícero, se rendem aos santos juninos. As procissões e novenas começam logo no início do mês. É uma festa junina diferente.
Globo Repórter: O senhor é devoto de Santo Antônio?
Benedito Bezerra, agricultor: Sou. Eu não canto, não danço, não bebo... Agora, na reza, eu venho.
“Temos quatro santos muito importantes pra gente: temos Santo Antônio, temos São João, temos São Paulo, temos São Pedro. Então, são santos muito fortes que rogam a Deus por nós. E haja celebração! Todo dia tem um santo, mas junho é forte”, diz a merendeira Maria da Paz Tavares.
Todo mundo quer participar da festa, então ficou decidido assim: cada grupo da cidade tem o seu dia de brilhar. Os carroceiros, que fazem frete na feira, também têm a participação deles. São 13 dias de homenagens aos santos.
Famílias inteiras em oração. As crianças aprendem cedo a ter fé. E assim as tradições se mantém há gerações. Nas pequenas comunidades do interior, nas homenagens simples, mas com muita devoção. Ou nas grandes cidades, e os festejos gigantescos que reúnem multidões.
Em cada arraial enfeitado, nas rezas, nas danças. Cada um comemora como gosta, e todos - juntos - fazem essa festa brasileira tão bonita.
 
Do Globo Repórter

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.