Blog Rômulo Lima

Além de roupa rasgada, mulher sofreu queimadura nas nádegas.
Vítima fará exame de corpo delito no IML de Araçatuba (SP).
Uma professora de 41 anos procurou a polícia nesta segunda-feira (17) depois de ficar com as nádegas coladas na cadeira da sala de aula de uma escola estadual, localizada  no bairro Jardim Novo Paraíso, em Araçatuba (SP). Duas alunas, de 12 anos, são suspeitas de terem passado uma cola super aderente no local. A mulher chegou a rasgar a calça ao tentar se levantar e ficou com uma queimadura no local.
Segundo informações da polícia, duas alunas teriam colocado a super cola na cadeira da professora, que não quis se identificar. Ela sentiu uma queimadura na nádega e ao tentar se levantar percebeu que estava colada na cadeira. Ela tentou se levantar a força e acabou rasgando a calça.
No mesmo momento ela olhou para a turma e afirmou que iria fazer um boletim de ocorrência. “Fiquei na frente dos alunos depois do ocorrido e afirmei que iria fazer a denúncia, porém em nome de um aluno, que achei ser o responsável pela ação. Ele foi convocado à diretoria da escola e no local afirmou que não havia participado desta brincadeira, e acabou entregando duas colegas de sala”, afirma a professora.
Ainda segundo ela, essa não foi a primeira vez que brincadeiras como esta acontecem no local. Ela já foi colada na cadeira outras quatro vezes, entretanto, em nenhuma das outras vezes com supercola. Nas outras brincadeiras, o aluno que ela acusou em sala havia participado, por isso ela o acusou.
A professora foi até o plantão policial para realizar o boletim de ocorrência. No local foi solicitado um exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal). A professora, após o ocorrido, teme toda vez que precisa voltar no local para trabalhar. “Todos os dias fico com medo de ir dar aula. Esse é um dos sentimentos que tenho, medo. Porque não sei o que pode acontecer agora. Fiquei muito triste com essa situação, pois os alunos não têm respeito”, afirma a professora.
Segundo a Secretaria Estadual de Educação, a direção da escola acionou os responsáveis pelas alunas para que eles contribuam nas questões disciplinares das estudantes e evitem que a situação volte a ocorrer. As alunas foram suspensas com base no regimento escolar e o professor mediador da escola irá reforçar as ações preventivas com as estudantes envolvidas. A professora, que registrou a ocorrência, também é acompanhada pela equipe gestora.
Do G1 Rio Preto e Araçatuba

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.