Blog Rômulo Lima

Fraudes resultaram em prejuízo de R$ 5,2 milhões aos cofres públicos.
Medicamentos eram adquiridos por valor 400% acima do preço de mercado.
Medicamentos superfaturados em até 400%, além de fraudes na aquisição de material gráfico que totalizam um montante de R$ 5,2 milhões, são os alvos da investigação do Ministério público do Ceará, no município de Crato, no sul do Estado. Na manhã desta terça-feira (40), uma força-tarefa que contou com o apoio de agentes da Polícia Civil cumpriu 51 mandados de busca e apreensão na segunda etapa da Operação Hora da Verdade que investiga os crimes. A ação foi determinada pelo juiz da 1ª Vara Criminal do Crato, Renato Bello. Ninguém foi preso.
São alvo das investigações secretários municipais, empresários, membros da comissão de licitação da prefeitura, advogados e um vereador.
Na casa de um empresário do ramo farmacêutico os agentes apreenderam R$ 290 mil em espécie, além de  54 cartuchos de espingardas calibres 44 e 22. Em duas empresas, foram apreendidos seis computadores. Todo material foi levado para a Delegacia Regional de Polícia Civil do Crato, onde passará por perícia.
De acordo com o Ministério Público, apesar de existirem provas da participação de agentes públicos no esquema e de ter sido determinado o afastamento do secretário de Finanças do cargo, não ficou provada a participação do prefeito do Crato, Ronaldo Gomes de Mattos, nas fraudes. A primeira etapa da Operação “Hora da Verdade” acorreu em março desse ano. A expectativa é de que até o final de 2015 a apuração do caso esteja concluída.
Do G1 CE

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.