Blog Rômulo Lima

Alguns dos principais nomes do PSB de Pernambuco integravam o Comitê Gestor do Programa de Parcerias Público-privadas do Estado, órgão investigado pela Polícia Federal na Operação Fair Play.
Uma ata de reunião do colegiado, de dezembro de 2008, mostra que estavam presentes ao encontro o atual governador, Paulo Câmara, então vice-presidente do comitê; o hoje prefeito do Recife, Geraldo Julio, que presidia o órgão; e o senador Fernando Bezerra Coelho.
Todos, à época, eram secretários do governo de Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo no ano passado. Em dezembro de 2008, Geraldo ocupava a Secretaria estadual de Planejamento e Gestão e Paulo Câmara, a pasta de Administração.
Fernando Bezerra Coelho estava na reunião como secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. Ele já é alvo de um inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) por suspeita de participação no esquema de corrupção da Petrobras.
OPERAÇÃO - Deflagrada na manhã desta sexta-feira, a Operação Fair Play investiga indícios de superfaturamento de R$ 42,8 milhões das obras da Arena Pernambuco, um dos estádios que recebeu jogos da Copa do Mundo.
A PF cumpriu mandados de busca e apreensão no Comitê Gestor de Parcerias Público-privadas de Pernambuco e em diversos endereços da Odebrecht, suspeita de fraudar a licitação em que foi escolhida para tocar a obra da arena.
OUTRO LADO - O Governo do Estado de Pernambuco divulgou nota oficial em que afirma estar disposto a "prestar o esclarecimentos necessários".
"A licitação para a construção da Arena observou todos os requisitos, prazos e exigências da Lei de Licitações e da Lei das Parcerias Público-Privadas (PPPs), tanto que foi julgada regular pelo Tribunal de Contas da União e pelo Tribunal de Contas do Estado", diz o texto.
O CASO - A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta (14) a Operação Fair Play, que apura suspeitas de superfaturamento na construção da Arena Pernambuco, estádio usado na Copa do Mundo do ano passado.
O estádio -que fica em São Lourenço da Mata, na região metropolitana do Recife- foi construído pela Odebrecht, empresa investigada na Operação Lava Jato, que investiga um esquema de corrupção na Petrobras mediante pagamento de suborno a dirigentes da estatal.
De acordo com a investigação da PF, o superfaturamento na obra da Arena Pernambuco foi de R$ 42,8 milhões. Atualizado, esse valor pode chegar a R$ 70 milhões, segundo os investigadores responsáveis pelo caso.
Da FolhaPress

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.