Blog Rômulo Lima

Durante três anos, parentes de Lesley Emerson enviaram mensagens a seu celular como forma de lidar com o luto. Na semana passada, no entanto, as mensagens passaram a ser respondidas.
Uma família que enviava mensagens para um número de celular, cujo aparelho foi enterrado junto à avó ficou horrorizada quando começou a receber respostas. A família de Lesley Emerson, morta em 2011, aos 59 anos, enterrou o celular junto com ela, porque ele era o seu  "bem mais precioso". Ela adorava escrever mensagens aos parentes. Nos últimos três anos, mesmo após a morte de Lesley, a família — neta e filhos — continuou enviando mensagens regularmente  como uma forma de lidar com o luto. Eles só não esperavam, contudo, receber uma resposta algum dia.
No dia 9 de outubro, segundo o Daily Mail, a neta, Sheri Emerson, tinha acabado de enviar uma mensagem ao número da avó, quando seu sangue gelou ao receber o seguinte retorno: "Eu estou vigiando vocês, vocês vão superar isso, tudo ficará bem". Ela recebeu mais duas outras mensagens do misterioso usuário que possuía o mesmo número antigo de sua avó — uma delas dizia: "Eu estou zelando por você e tudo ficará bem. Basta seguir em frente". Assustada, Sheri respondeu, perguntando quem poderia estar mandando aquelas mensagens. A resposta foi bizarra: "um vegetariano perturbado". "Fiquei em choque quando li aquilo. Fiquei sem saber o que pensar", afirmou Sheri ao jornal britânico.
O susto foi causado principalmente, porque a família nunca esperava que aquele número telefônico fosse pertercer a outra pessoa novamente. Quando o celular foi enterrado, a família havia pedido para a empresa de telefonia, O2, desativar aquela linha — colocando o número fora de serviço. Mas, com o episódio, acabaram descobrindo que o número foi reativado este ano e repassado a um novo cliente.
"Claro que sabíamos que nossa avó não iria responder, mas gostávamos de mandar as mensagens como uma forma de combater a saudade — já que ela amava enviar mensagens. Então, imagine a nossa reação ao ver uma mensagem de volta surgindo — de um número que era dela!", disse Sheri.
"Eu não posso visitar a sepultura da minha mãe. Então, enviar mensagens àquele número era uma forma de me manter conectado a ela. Mas agora alguém usa aquele número... Não consigo acreditar que a O2 fez isso", afirmou Graham.
Um porta-voz da empresa afirmou ao Daily Mail que entrou em contato com a família para pedir desculpas pelo "estresse causado". Também afirmou que a companhia fará o possível para "ajudar a resolver a situação" e cumprir o prometido.
Fonte: Época Negócios

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.