Blog Rômulo Lima

Por causa da estiagem, há falta de vegetação e o gado está morrendo.
Quem depende da produção de leite não sabe o que fazer.
De cada dez cidades de Pernambuco sete estão em situação de emergência por causa da seca. Este ano, choveu bem menos do que o esperado, falta vegetação, o gado tá morrendo, a seca tomou conta de tudo, quem depende da produção de leite não sabe mais o que fazer, como mostra o repórter Paulo Ricardo Sobral, do Sertão de Pernambuco.
Mais um dia de ordênia que não rendeu muito leite parece que a época é mesmo de vacas magras, em uma das maiores bacias leiteiras de Pernambuco, a produção vem caindo ano a ano, Bodocó fica a 645 km do Recife e já chegou a ter 175 mil litros de leite por dia, hoje, os criadores de animais tiram menos de 100 mil litros,  na fazenda de Lenivaldo a situação não está boa não.
“A dois três anos atrás agente tirava em média 700 a 800 litros, hoje, agente está tirando em torno de 200 litros, 200 litros a menos. O gado cada vez mais magro, e agente precisa, sobrevive desse produto, e cada vez está ficando mais difícil," disse o agricultor Lenivaldo.
Os animais não produzem mais leite como em outros tempos porque estão perdendo peso, falta pasto para comer, o capim não nasce nessa terra seca só nasceria se chovesse, mais neste ano, as chuvas por aqui não foram suficientes.
Segundo a Agência pernambucana de Águas e Climas, de janeiro a julho no sertão, choveu 40% menos do que era esperado, a média histórica para esta região é de 501mm só caiu 297mm, e mesmo assim, em pontos insolados, em todo o estado acumulado ficou bem abaixo do previsto.
Na região do Agreste, a queda foi de 31%, muitos reservatórios de águas já entraram em colapso, dos 185 municípios de Pernambuco, 126 já decretaram situação de emergência.
"Nós somos um município que vive da pecuária leiteira e com essa escassez de chuva agente teve mais uma vez que decretar estado de emergência para ver se com isso agente consegue trazer ajuda do governo federal, do governo do estado", relata Robson Saraiva, secretario de Agricultura de Bodocó.
Enquanto ajuda não chega, seu Manoel lamenta as perdas do rebanho, antes ele tinha 220 cabeças de gado, hoje são menos de 80, a maioria morreu de fome.
"Dinheiro não tem para comprar ração, agente não tem nada pra um empréstimo, não tem nada!, então de qualquer maneira a situação é feia, ai nós tamos numa condição aqui que ninguém sabe, só Deus mesmo que é quem pode ajudar nós, que venha o inverno, aparece chuva, aparece o que roer no chão," disse seu Manoel.
Veja a reportagem completa do JORNAL HOJE DA TV GLOBO

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.