Blog Rômulo Lima

A Polícia Federal (PF) concluiu, na última sexta-feira (16), o inquérito da Operação Paradise. O dossiê das investigações foi enviado ao Ministério Público Federal (MPF). O órgão terá quinze dias para se manifestar sobre as acusações descritas no processo. Esse prazo deverá ser estendido em decorrência do imenso volume do processo, diz fonte ligada a PF.
Se o MPF oferecer denúncia contra os acusados o conteúdo das investigações se tornará público.
O delegado da polícia federal, em Salgueiro, Antônio Carvalho, que comanda as investigações da Paradise, revelou, no último dia 7, que mais de trinta pessoas ligadas ao governo municipal de Araripina estão indiciadas no inquérito. A identidade dos envolvidos não foi revelada pelo delegado. As folhas seguem sob segredo judicial.
A expectativa da quebra do sigilo judicial da Paradise circula em volta das interrogações sobre o envolvimento do prefeito de Araripina Alexandre Arraes (PSB).
O processo de impeachment de Arraes já é discutida pelo parlamento do município. O líder da oposição na Casa, Luis Henrique Coelho (PSL), pregou, à imprensa e durante discurso na tribuna da câmara na última quinta(15), pela cassação do prefeito.
O pedido de afastamento do prefeito só tramitará na Câmara caso envolvimento do socialista no escândalo da Paradise seja comprovado pelas investigações.
Do Revista Geral | Foto Paulo Elias

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.