Blog Rômulo Lima

Desde 2012, Codevasf está investindo R$ 8,7 milhões em ações na cadeia produtiva do mel em PE.
A distribuição de kits familiares de apicultura aos pequenos produtores no Sertão pernambucano, feita pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), está parada há pelo menos dois meses. De acordo com a Companhia, o programa congelou devido à suspensão de repasses federais. Os recursos das ações são provenientes do eixo de inclusão produtiva do Plano Brasil Sem Miséria, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional.
“Há uma expectativa de retomada do projeto. Contudo, essa paralisação prejudica os apicultores que estão na expectativa para a liberação de materiais. Até agora foram aplicados cerca de R$ 3 milhões no apoio dos produtores da região. Ainda restam aproximadamente R$ 2 milhões para investimento represados”, informou o analista de desenvolvimento regional da Codevasf, Antônio Paulo Lopes. A aplicação total dos recursos viabilizaria o atendimento de 500 famílias, que representa a meta geral do projeto. Até agora foram beneficiadas 236 famílias.
A iniciativa distribui equipamentos de suporte como colmeias, melgueiras, cera, indumentárias, fumigador, carretilha e outros itens desde 2012. No ano passado, segundo Lopes, foram atendidas 15 comunidades no Sertão do Pajeú, região composta por 17 municípios, em Araripina e em Petrolina. Somente em Quixaba, no Sertão do Pajeú, o investimento na ação foi de R$ 131,4 mil.
Entre os beneficiados, o produtor Edmilson Alves diz que o kit ajudou a ampliar a produção. “Dobrei a quantidade de colmeias, que passou de 80 para 160 enxames”, comentou. Em Araripina, a produção média anual estimada é de dez a 12 mil quilos. Presidente da Associação dos Pequenos Produtores do Sítio Riacho Fundo, que reúne 35 produtores em Araripina, Alves lamenta a suspensão da entrega dos kits. “Os outros materiais são aguardados pelos produtores e podem aumentar ainda mais a nossa capacidade produtiva”, disse.
Além dos itens de apoio aos apicultores, a Codevasf também promove cursos de até 20 horas para a formação tanto dos que já atuam na área, quanto para orientar aqueles que pretendem iniciar a atuação no manejo das abelhas. Desde 2012, a entidade está investindo R$ 8,7 milhões em ações voltadas à apicultura em Pernambuco. Essas iniciativas atendem famílias de comunidades rurais de vários municípios, incluindo Araripina, Moreilândia, Serra Talhada, Bodocó, Exu, Petrolina, Manari, Belém do São Francisco, Dormentes, Inajá e Petrolândia.
Do Folha de Pernambuco

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.