Blog Rômulo Lima

Muito pior que a dor da traição será o prejuízo financeiro que o marido traído terá que pagar a sua ex-esposa Fabíola e ao seu ex melhor amigo Léo. Ele cometeu crime de injuria, violação de intimidade e no ao patrimônio privado. 
A ira levou o marido de Fabíola a cometer diversos crimes contra a mulher e seu ex melhor amigo Léo. Por mais desconfortante que seja o adultério não é um crime. Quando ele na porta do motel pediu para a funcionária chamar a polícia nem imaginava que seria o único a ser preso. A informação é do advogado criminalista Eduardo Coelho Monteiro Filho. 

Segundo o Dr. Eduardo Coelho o marido de Fabíola será acionado pela justiça pelos crimes de injúria, violação de intimidade e dano ao patrimônio privado. O cinegrafista do episódio também responderá criminalmente pelas agressões físicas e verbais cometidas contra Fabíola. 

Não há crime em colher imagens para comprovar traição, no entanto estas imagens só podem ser usadas em juízo. Torná-las públicas incorre em violação de intimidade e é enquadrada no artigo 140 do Código Penal que discorre sobre o crime de injúria. O fato de este crime ser cometido na internet agrava a pena em 1/3. Somente por este crime o marido traído já pode ser punido com 4 anos de cadeia e multa de até R$ 37.000,00

Por destruição total do aparelho celular de Fabíola e destruição parcial do veículo Saveiro do amante, ele será enquadrado no crime de dano a patrimônio privado. A condenação rende a ele mais 4 anos de reclusão e multa referente ao reparo aos patrimônios destruídos. Uma avaliação parcial do fato sugere que a indenização seja de R$ 6.000,00

Imagens íntimas do casal flagrado no motel foram divulgadas nas redes sociais. Caso seja comprovado que o vazamento foi um ato de vingança do marido de Fabíola será somada mais uma condenação por injúria. Além dos 4 anos de cadeia e dos prováveis R$ 37.000,00 de indenização a ambos, pode ainda ter ainda que arcar com os custos da mudança de endereço da ex-mulher. Em casos de injúria muitas vezes o réu é obrigado a arcar com o processo de afastamento da vítima do ambiente onde é hostilizada. 

Segundo Coelho, como a responsabilidade civil e penal não se confundem, nos próximos meses será ajuizada, ainda, uma ação de indenização pelos danos à imagem de Fabíola, cuja indenização espera seja arbitrada em pelo menos 100.000 reais.

Além de traído ele guarda em si agora uma provável condenação a 16 anos de reclusão e uma dívida de mais de R$ 100.000,00. Pense duas vezes antes de tomar uma atitude por impulso. O preço de um minuto de ódio pode ser uma vida inteira de dor.

Fonte: www.geledes.org.br

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.