Blog Rômulo Lima

Na semana em que processo para destituí-la foi aberto, presidente vem à cidade tratar do problema da microcefalia e da epidemia do Aedes aegypti.

Na semana em que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), abriu o processo de impeachment para destituí-la, a presidente da República, Dilma Rousseff (PT), desembarca na capital pernambucana para tratar de um dos mais graves problemas de saúde pública registrado nos últimos anos. A chefe do Executivo chega este sábado, (5), às 10h20, à Base Aérea do Recife, e de lá parte para o Comando Militar do Nordeste, onde terá uma reunião emergencial sobre as ações de enfrentamento às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (dengue, chikungunya e zika).
O número de casos de dengue cresceu assustadoramente este ano em Pernambuco. Até o dia 14 de novembro, foram notificadas 119.646 ocorrências em todo o Estado, enquanto no mesmo período no ano passado foram 17.702 notificações. O número de casos confirmados foi de 42.781 este ano, enquanto em 2014 foram 6.573 no mesmo período.
Recife é a cidade com o maior número de notificações do Estado, segundo o último boletim divulgado no último mês pela Secretaria Estadual de Saúde. Ao todo, foram 25.219 casos, o que representa um aumento de 838,2% no número de notificações – foram 2.688 no mesmo período de 2014. A cidade contava ainda 15.168 casos confirmados de dengue até o dia 14 de novembro, 20 vezes mais que os 693 casos do ano anterior. Até o início do ano, não havia um protocolo definido para a notificação do zika vírus e da febre chikungunya em Pernambuco.
Na reunião, a presidente também deverá tratar do aumento exponecial dos casos de microcefalia no Estado. Pernambuco possui mais da metade dos casos registrados no país este ano. Pelo último levantamento do Ministério da Saúde, são 646 notificações, contra 1.248 em todo o Brasil. Às 12h30, a presidente deverá conceder entrevista coletiva à imprensa. O retorno para Brasília está marcado para 13h15.
Na reunião, a presidente também deverá tratar do aumento exponecial dos casos de microcefalia no Estado. Pernambuco possui mais da metade dos casos registrados no país este ano. Pelo último levantamento do Ministério da Saúde, são 646 notificações, contra 1.248 em todo o Brasil. Às 12h30, a presidente deverá conceder entrevista coletiva à imprensa. O retorno para Brasília está marcado para 13h15.
“Um assunto como este tem a preocupação de todos nós e a presidenta também demonstrou muita preocupação. São números que crescem rápido e as crianças que estão nascendo agora foram geradas no início do ano, então toda a investigação e a preocupação é no sentido de que a gente tome ação imediata para que o início do próximo seja com menos casos”, afirmou o governador após reunião realizada com a presidente Dilma, no Palácio do Planalto, no último dia 26.
Na ocasião, Câmara ainda afirmou que passou cerca de duas horas em reunião com a presidente e com ministro da Saúde para tratar do aumento “exponencial” dos casos de crianças com a má-formação. Segundo ele, Pernambuco é o estado no Nordeste com o maior número de casos notificados e confirmados e que, por isso, precisaria contar com ajuda do Governo Federal.
A microcefalia é uma condição rara em que o bebê nasce com o crânio do tamanho menor do que o normal. Em razão das diversas crianças que nasceram com a má-formação, o Governo Federal criou uma força-tarefa integrada por 17 ministérios para tentar conter o avanço dos casos. Até o Exército foi acionado para integrar o combate ao Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, a febre chikungunya e a zika – essa tida como uma das responsáveis pela microcefalia.
Até o dia 30 de novembro, o Estado registrava 646 casos. O governo de Pernambuco anunciou um novo protocolo para diagnóstico da microcefalia. Desde a última quinta-feira (3), passaram a ser considerados com a má-formação apenas os bebês que tenham perímetro cefálico igual ou inferior a 32 centímetros -- e não mais 33 cm. O estado decidiu adotar os parâmetros definidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
O protocolo também aconselha que as mães que apresentarem manchas vermelhas pelo corpo (exantema) durante a gestação, devem procurar a Secretaria Estadual de Saúde (SES) para que o caso seja notificado.
Do G1 PE

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.