Blog Rômulo Lima

Delegado revela que a maioria dos casos os autores são pessoas próximas. 
Pesquisador diz que instituições não são preparadas para receber vítimas.
Um assunto que tem preocupado a população do Sertão de Pernambuco é a violência infantil. Este ano, já foram sete casos de assassinatos brutais de crianças na região. Desses crimes alguns dos autores foram identificados e presos, enquanto que algumas dessas mortes a família ainda aguarda uma resposta. 

O primeiro crime do ano deste gênero aconteceu no domingo de carnaval na cidade pernambucana de Belém do São Francisco. O corpo de Benício da Silva Gomes, de oito anos, foi encontrado em estado de decomposição. O menino foi abusado sexualmente e morto a pedradas. A polícia indiciou um menor e um homem pelo crime. 

Em maio, Pedro Felipe dos Santos, de nove anos, foi encontrado morto no bairro Pedra Linda em Petrolina. E cinco meses depois, no mês de outubro, o menino Wallison Pedro Souza desapareceu no dia das crianças e foi encontrado dois dias depois morto e com sinais de violência sexual. Depois foi descoberto que o assassino de Wallisson também tinha matado Pedro Felipe, o menino do Pedra Linda. José cicero da silva foi preso e confessou os crimes. 

Em outubro, mais outra história chocante em Bodocó. Um homem botou fogo na casa por ciúmes da mulher. Os dois filhos do casal estavam dentro da casa. O filho mais velho, de cinco anos, morreu no mesmo dia. O mais novo, de cinco meses de idade, teve sessenta por cento do corpo queimado e morreu nove dias depois. 

Um outro crime que causou revolta da população foi o assassinato de Beatriz Angélica Mota. A menina teve o corpo todo esfaqueado durante uma aula da saudade de alunos do terceiro ano em um colégio tradicional de petrolina. O crime ainda está sendo investigado E cinco dias depois uma criança foi estuprada e morta em Belém do São Francisco pelo vizinho dela. Evilly kaylane foi encontrada morta dentro de um saco, na rua em que morava. 

Os casos de violência contra crianças estão se tornando comuns na região. “A gente tem um número significativo de registro de ocorrências, onde temos crianças e adolescentes como vítimas, sobretudo, nos crimes de maus tratos, abuso e exploração sexual”, relata odelegado Marceone Ferreira . 

O delegado explica as principais características desse tipo de crime. “Quando a gente investiga crimes envolvendo crianças e adolescentes como vítima, a maioria dos casos a gente vê que os autores são pessoas próximas, pessoas que conhecem a criança e conhece a família”, esclarece. 

O professor universitário Victor Emmanuell dos Santos. Ele desenvolveu uma pesquisa com vítimas e agressores de crianças. As conclusões são preocupantes. Segundo o pesquisador, além do sofrimento por conta das agressões, as instituições que acolhem essas vítimas não estão preparadas. “Ela trará malefícios para a criança nos aspectos psicológicos e psiquiátricos e transtornos depressivos e de ansiedade, além de transtornos de comportamento e também trará prejuízos na socialização correta dessa criança com os demais indivíduos”. 

De acordo com o professor é preciso melhor preparo dos profissionais para lidar com as crianças vítimas de violência. “A gente percebe que os profissionais de saúde e da assistência social e os próprios agentes do judiciário, eles ainda encontram dificuldade para trabalhar e manejar a criança vítima de violência por um próprio despreparo profissional, não há um preparo na universidade, não uma qualificação permanente para que esses profissionais eles tenham uma qualificação melhor para observar, entender e acolher e dar a resposta para fazer abortar esse processo precocemente”, conta.
 
Do G1 Petrolina

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.