Blog Rômulo Lima

Poças d'água causadas pela chuva favorecem o aparecimento dos animais. 
Em Petrolina, milhares pulam pelas ruas e assustam os moradores.
A volta da chuva provocou mudanças estranhas no sertão de Pernambuco. Algumas áreas estão alagadas e isso facilitou a reprodução de sapos. Em Petrolina, são milhares pulando por todos os cantos e os moradores estão assustados. 

Parece uma cena de filme, daqueles cheios de efeitos especiais, mas é realidade: as ruas do bairro Jardim Petrópolis, em Petrolina, foram invadidas por pequenos sapos e são tantos, que pulando, pulando, eles se espalharam em um instante. Na Rua 25, dona de casa Francisca Furtado se defende com a vassoura. São horas tentando varrer os sapinhos, que acabam voltando. 

Eles insistem em entrar de todo jeito, até mesmo nas casas que estão de portas fechadas. Os moradores estão assustados e contam que da última vez que choveu, há quase uma semana, também houve uma invasão de sapos, só que não nessa intensidade. Eles estão convivendo com ruas alagadas e acreditam que esse seja o motivo da infestação. Uma das ruas está inundada e bem na beira da poça d'água é possível ver um monte de girinos, as larvas que se transformam em sapos. E são muitos! 

A bióloga Mary Ann Saraiva explica que as chuvas frequentes fazem as lagoas ficarem cheias e aumentam a quantidade de poças e que esses ambientes são ideais para a reprodução dos sapos. Ela explica ainda que, quanto mais chover e tiver água, mais girinos e sapinhos vão aparecer, mas não há motivo para pânico. 

“Os sapos não são vetores de nenhuma doença, ao contrário, eles comem o mosquito da dengue e outros insetos. Eles estão em deslocamento e não vão ficar em ambiente urbano”.

Paulo Ricardo Sobral 
Petrolina, PE

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.