Blog Rômulo Lima

A prefeitura municipal de Bodocó através do prefeito Danilo Rodrigues que justifica a crise nacional como principal problema que impede a administração de trabalhar para o povo, encontrou nas demissões a saída para o problema. 
O prefeito ainda não conseguiu explicar o que faz com as verbas que entram na prefeitura, já que a falta de remédios e material hospitalar é rotineiro, pagamento dos salários em atraso, merenda escolar escassa e meses de atraso do pagamento do transporte escolar sem data para regularização são alguns dos fatores negativos da atual gestão. 

Nesta segunda (18),o prefeito reuniu funcionários contratados, prestadores, comissionados e locadores de imóveis para pedir a compreensão de todos em detrimento a crise que afeta o município. O prefeito pediu ainda para que todos se doassem gratuitamente à prefeitura no período de fevereiro a abril de 2016 e dispensem seus salários e pagamentos dos contratos de locadores que têm prédios alugados à prefeitura. Com essa justificativa o prefeito Danilo exonera uma quantidade expressiva de servidores em Bodocó. 

A atitude do prefeito é tratado por correligionários e o candidato a vice-prefeito Dr. Otávio como uma ação de coragem para o enfrentamento à crise. A proposta de Danilo é que esses funcionários que serão exonerados agora voltarão em abril, garantindo assim os seus empregos de volta. 

Segundo informações, o quadro jurídico da prefeitura que presta serviços ao povo também está no pacote de demitidos, e, portanto, este serviço também ficará suspenso. Se já era difícil conseguir um advogado para pobre, agora ficou impossível. 

O pretexto da crise no Brasil é a arma secreta para todos os prefeitos que não estão conseguindo honrar os compromissos básicos dos municípios. Em 2015 a prefeitura de Bodocó recebeu na conta do FPM que é o maior gargalo para os prefeitos, o valor de R$ 16.608.386,04 (Dezesseis milhões, seiscentos e oito mil, trezentos e oitenta e seis reais e quatro centavos). 

O FUNDEB, por sua vez, representou na receita o valor de R$ 22.032.528,03 (Vinte e dois milhões, trinta e cinco mil, quinhentos e vinte e oito reias e três centavos). 

Valor total dos fundos recebidos em 2015 é de R$ 38.674.315,96 (Trinte e oito milhões, seiscentos e setenta e quatro mil, trezentos e quinze reais e noventa e seis centavos). 

Vale esclarecer que a receita decorrente da área de saúde não está exposta nesta matéria. 

Fonte: http://www3.tesouro.gov.br/estados_municipios/transferencias_constitucionais_novosite.asp 

A pergunta que todos querem saber é: Se os principais serviços em Bodocó estão suspensos e são escassos durante os anos de administração de Danilo Rodrigues, como justifica o prefeito as ações decorrentes dessas verbas gastas no seu mandato, já que tudo falta em Bodocó? 

O prefeito Danilo Rodrigues também deixa de presente para seus eleitores e prestadores de serviços um atraso em várias áreas de até 6 meses sem pagamento, inclusive, dois anos sem pagar o Um Terço de Férias de grande parte dos funcionários da saúde e limpeza pública. 

O eleitor que votou em Danilo imaginando uma mudança e inovação nos destinos administrativos do município, dizem hoje que se arrependimento matasse, todos morreriam. 

Fonte: Lusimar Lima
Foto: Rômulo Lima

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.