Blog Rômulo Lima

Em entrevista com o Professor de Educação Física, Silvestre da Costa Silva, ele conta sobre as dificuldades que a Escola Domingos Benvindo de Oliveira, no Sítio Massapê, zona rural de Bodocó, vem enfrentando nos últimos anos.

Diante da insuficiência, da má qualidade na prestação dos serviços básicos de direito dos alunos e dever do município, os prejuízo na aprendizagem e desenvolvimento do estudante vem sendo prejudicado gravemente desde o ano de 2014 em Bodocó. O professor Silvestre, conta que dificilmente boa parte dos alunos estar presente na escola, e isso se deve a falta de transporte escolar, e quando tem o transporte, os alunos são liberados mais cedo porque não tem merenda, e com fome não se concentram; neste caso, o aproveitamento é mínimo, sendo assim o índice de reprovação aumenta. esclarece o professor.
Com relação a Infraestrutura, o caso é pior ainda diz Silvestre: Quanto ao espaço físico da escola, as salas não têm o mínimo de conforto: não tem ventilador, os anexos não tem eletricidade e algumas salas que dispõe, os ventiladores estão na parede, mas não podem ser ligados, porque, segundo o eletricista da prefeitura, é preciso trocar toda a rede elétrica do prédio da escola. Ainda tem duas outras salas que funcionam como anexos em espaços alugados, uma, é uma garagem, neste, o ventilador não funciona porque incendiou, além disso, o espaço é apertado e quente, o outro anexo é um quartinho, nele, se os alunos ligarem o ventilador ou acender a lâmpada, a dona da casa, vai na sala e manda desligar. O telhado está comprometido, podendo até cair de uma hora pra outra devido aos cupins que se alojaram na madeira, fala indignado com a situação, o Professor Silvestre.

A aprendizagem em uma situação como essa, é impossível. Faz pena! E é muito preocupante o futuro dessas crianças. Os aluno com fome não se concentram, não aprende”. Silvestre conta que em quatro anos que é professor desta escola, nem o transporte escolar, nem a merenda foram regulares, e a cada ano vem ficando pior. A maior preocupação do professor é que, grande parte dos alunos são reprovados por falta; “Se não tem carro, não tem merenda, o jeito é ficar em casa”, conta o professor. Ele diz também que, quando não falta transporte para os alunos, falta para o professor que o ônibus vive quebrando ou incendiando. O ônibus da nova frota que o prefeito propagou em Bodocó é um ônibus sucateado, sujo, bancos quebrados, e a lataria só falta se soltar quando passa por algum buraco, reclama Silvestre.

A educação em Bodocó é um dos piores problemas na gestão de Danilo Rodrigues que vem somando várias denuncias. Os pais, assim como os alunos, reclamam do descaso, e sabem que estão sendo prejudicados. A educação vem caindo consideravelmente a cada dia, com um sistema educacional decadente e com uma administração no mínimo desinteressada, indaga o professor. 

O professor Silvestre manda um recado para os pais, os alunos e a sociedade: “Repensemos nossos papéis e nossas atitudes, pois com elas demostramos o compromisso com a educação que queremos, Quero pedir para os pais visitarem mais a escola e ver como anda o desenvolvimento dos seus filhos. Unidos podemos fazer uma educação melhor e mais comprometida, se aprendermos a exigir nossos direitos”. A pergunta é: Quando a Câmara de vereadores vai tomar uma providência quanto a isso? 

Por Lusimar Lima

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.