Blog Rômulo Lima

Agora, a expectativa para o fim de fevereiro é de que as precipitações correspondam a 80% da média histórica.
Foto: Reprodução Internet
O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) revisou mais uma vez para baixo a previsão de chuvas para a área de influência dos reservatórios da região Sudeste. Agora, a expectativa para o fim de fevereiro é de que as precipitações correspondam a 80% da média histórica, abaixo dos 85% estimados na semana passada.

Também foram reduzidas as projeções de armazenamento para a região Norte, de 60% para 55% da média de longo termo (MLT). Já a expectativa para as precipitações no Nordeste, que sofre há mais de um ano com a seca, foi elevada, para 31%, acima dos 28% projetados anteriormente. Por fim para o Sul, agora o operador espera chuvas acima da média histórica, em 107% da MLT, ante os 94% anteriores.

O volume de chuvas previsto permitirá que os nível de armazenamento se recupere em todos os subsistemas até o fim do mês. De acordo com o ONS, os reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste devem encerrar o mês com 43,6% de sua capacidade, abaixo dos 44,5% estimados anteriormente, mas acima dos 39,38% observados na quinta. Já na região Norte, o nível de armazenamento deve chegar a 26%, abaixo dos 28,1% calculados na revisão anterior e superior aos 24,97% de quinta-feira.

Para a região Nordeste, a projeção atual indica que o armazenamento nos reservatórios deve alcançar 21,5% da capacidade, acima dos 20,2% sinalizados semana passada e dos 18 73% anotados na quinta. Por fim, para o subsistema Sul, a projeção é de 58% ao final de fevereiro, ante os 56,02% de quinta.

Demanda 
O ONS também fez um leve ajuste em sua previsão de carga no Sistema Interligado Nacional (SIN) para fevereiro, passando a estimar 69.470 MW médios, o que corresponde a um aumento de 1,8% ante o verificado no mesmo mês de 2016. Na prática, o operador praticamente retomou a previsão anunciada inicialmente, elevando ligeiramente os números em relação aos 69.425 MW médios anotados semana passada (+1,7%).

Na revisão, o operador reduziu a expectativa de demanda para o principal centro de carga, o Subsistema Sudeste/Centro-Oeste, estimando agora 40.718 MW médios no mês, alta de 1% na base anual (a projeção anterior apontava para alta de 1,3%). As demais regiões tiveram os números revistos para cima: a previsão para a região Sul é de alta na carga de 0,8%, ante aumento de 0 6% indicado na semana passada. O Nordeste deve apresentar crescimento 6,8% na carga, acima dos 6,6% da previsão anterior. O Norte, por sua vez, deve ter leve alta de 0,3%, ante uma expectativa inicial de queda de 1,5%.

CMO 
O Informe do Programa Mensal de Operação (IPMO) divulgado nesta sexta também aponta um aumento no custo de geração de energia nos submercados Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte, enquanto no Nordeste o indicador segue em trajetória de queda.

Para a semana entre 11 a 17 de fevereiro, o Custo Marginal de Operação (CMO) nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul foi fixado em R$ 103,09/MWh, acima dos R$ 94,58/MWh da semana passada. No Norte, o custo passou de R$ 84,48/MWh para R$ 102 16/Mwh. No Nordeste, o preço médio recuou de R$ 176,69/MWh para R$ 165,51. O CMO é utilizado como referência para a definição do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD). 

Por: Agência Estado

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.