Blog Rômulo Lima

Identidades foram confirmadas na tarde deste domingo (5).
Entre os mortos está uma criança de 1 ano e 2 meses.
Carros bateram de frente e quatro pessoas morreram na BR-158, no RS (Foto: Divulgação/PRF)
O trágico acidente com quatro mortes na BR-158 na manhã deste domingo (5), no Rio Grande do Sul, vitimou três pessoas da mesma família, entre elas uma criança de 1 ano e 2 meses, que chegou a ser resgatada com vida, mas não resistiu. Ela era filha de Márcia Cera, 37 anos, e Ivanei Lemes, 30 anos, que morreram na hora.

No outro carro, um jovem de 20 anos estava sozinho. Ele foi identificado como Paulo Dotto, e também morreu no local. Conforme a Polícia Rodoviária Federal, a colisão entre os dois veículos foi frontal, e aconteceu entre as cidades de Santa Maria e Rosário do Sul.

Márcia Cera trabalhava na Universidade Federal do Pampa, a Unipampa, na unidade de Alegrete, na Fronteira Oeste do estado. O marido dela era aluno. A instituição publicou uma nota de pesar após o acidente.

"A Universidade Federal do Pampa lamenta o falecimento da servidora Márcia Cristina Cera, professora do Campus Alegrete, e do discente do curso de Engenharia Agrícola, Ivanei Rodrigues Lemes, ocorrido na manhã deste domingo, 5 de fevereiro. A comunidade da Unipampa estende seu sentimento de pesar às famílias e aos seus amigos", diz o texto.

Pai aguardava filho para almoçar 
A vítima que estava sozinha em um dos carros havia saído no sábado (4), e voltava para a propriedade da família na manhã de domingo (5), onde almoçaria com o pai. Ele já estava perto de casa, cerca de quatro quilômetros, quando aconteceu o acidente.

A reportagem da RBS TV foi até a propriedade, e encontrou o pai de Paulo ainda muito abalado. José Jadir dos Santos, capataz da família, relatou que o jovem chegou a se perguntar, antes de sair de carro no sábado, se ia chover. "'Será que saio ou não saio?'. Mas acabou saindo", lembrou.

Perícia indica excesso de velocidade 
Peritos que foram ao local do acidente dizem que o velocímetro do carro que Paulo dirigia estava trancado em 175 km/h. A principal suspeita, ainda inicial, é de que ocorreu perda de controle do veículo em uma curva. "A principal causa que a gente viu aqui é excesso de velocidade. Imprudência e excesso de velocidade. Agora, com os elementos, a gente vai averiguar qual a dinâmica, o que realmente aconteceu.

A gente não conseguiu ter elementos ainda, a gente está fazendo a busca para ter, para encontrar o que realmente aconteceu, mas o excesso de velocidade, esse é certo", resumiu Cezar Hubner Perez, perito do IGP de Santa Maria.

Após a colisão, o trânsito ficou em meia pista por cerca de seis horas para o trabalho das equipes de resgate e perícia.

Vanessa Backes
Da RBS TV

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.