Blog Rômulo Lima

As rodovias BR-407 e BR-428 foram bloqueadas em Petrolina e Lagoa Grande, respectivamente.
 Protesto da BR-428 (Foto: Divulgação/ Polícia Rodoviária Federal)
Manifestantes interditaram duas rodovias no Sertão de Pernambuco. Os protestos foram convocados por sindicatos, centrais sindicais e movimentos sociais. Os grupos se manifestam contra as reformas trabalhistas e da Previdência.

Em Petrolina, a BR-407 na Ponte Presidente Eurico Gaspar Dutra, foi interditada por volta das 10h30. Entre os manifestantes estavam integrantes do Movimentos do Trabalhadores Sem Terra (MST), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (Sindsemp), Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação de Pernambuco (Sintep), Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), Frente Brasil Popular (FBP), Correios, entre outros. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), cerca de 3 mil pessoas participaram do protesto. A liderança do movimento estimou cerca de 20 mil pessoas.

O grupo estava reunido desde às 8h30 na Praça do Bambuzinho, no Centro da cidade. Às 10h começou a percorrer as ruas até chegar à ponte, que começou a ser liberada por volta das 11h45. Os serviços de ônibus foram mantidos e o Aeroporto Senador Nilo Coelho funcionou normalmente. 
 Protesto na BR-407 em Petrolina (Foto: Beatriz Braga/ G1)
A BR-428, entre os municípios de Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista, foi bloqueada por cerca de três horas. Os manifestantes chegaram ao local por volta das 7h desta sexta-feira (29). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), estavam presentes cerca de 90 pessoas. Os líderes do movimento não divulgaram um número. Eles fecharam a rodovia com galhos de árvores. Segundo a PRF, o bloqueio das vias provocou um engarrafamento de cerca de 5 km nos dois sentidos. Às 10h o trânsito foi liberado.
 Protesto em Salgueiro (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Em Salgueiro, cerca de 300 pessoas, de acordo com a Polícia Militar, sairam pelas ruas da cidade. Nenhuma rodovia foi interditada. O protesto começou por volta de 8h30 e foi encerrado às 10h30. Segundo a polícia a manifestação foi tranquila.

Serviços em Petrolina:

Justiça

Fórum municipal e Ministério Público de Petrolina: o atendimento foi suspenso e só estão sendo realizadas audiências previamente agendadas.
Receita Federal de Petrolina: o atendimento foi suspenso.

Educação

Escolas municipais de Petrolina: aderiram à greve.
Universidades públicas: as aulas foram suspensas.
Universidades particulares: a Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina (Facape) deixou a critério dos professores e alunos.

Transporte público

Em Petrolina, os coletivos funcionaram normalmente.

Correios:

A categoria está em greve desde esta quinta-feira (27) e aderiram à greve nacional.

Saúde

Hospital Dom Malan : normal
Hospital Universitário (HU): normal 

 Por G1 petrolina 

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.